Views
6 months ago

Revista Apólice #206

produto | seguro viagem

produto | seguro viagem Mas atenção: contratar o seguro às vésperas do intercâmbio é uma postura equivocada. O ideal é que o viajante adquira o produto já no momento de fechar o pacote. “Se acontecer algum imprevisto que o impossibilite de viajar, o seguro cobre as despesas de cancelamento”, atenta o gerente comercial de Vida da Porto Seguro, Jaime Prazeres. Intercâmbio no exterior: veja quais coberturas podem ser contratadas √ Morte acidental e traslado do corpo; √ Translado de profissional médico; √ Indenização à família em caso de morte acidental durante a viagem; √ Despesas médicas, hospitalares e odontológicas; √ Ressarcimento de despesas farmacêuticas e de gastos em caso de atraso de bagagem; √ Coberturas nos casos de invalidez permanente total ou parcial por acidente em viagem; √ Passagem aérea de ida e volta para um familiar acompanhar o viajante em caso de acidente; √ Traslado de menor de idade; √ Cancelamento ou interrupção de viagem e perda ou dano de bagagem; √ Recuperação médica no hotel; √ Compensação por atraso ou cancelamento de vôo; √ Assistência jurídica; √ Adiantamento de fiança ou financeiro; √ Serviços de conveniência como auxílio por perda de documentos, informações de viagem, pré check-in aéreo, serviços de concierge (com reservas em restaurantes e shows) e help desk em tecnologia A voz dos segurados Dados da Superintendência de Seguros Privados (Susep) demonstram que o mercado de seguro viagem cresceu no País. Entre janeiro e setembro deste ano, a modalidade movimentou mais de R$ 157,7 milhões, aproximadamente 52% a mais do que os R$ 103,8 milhões observados no mesmo período de 2014. Só em São Paulo, estado responsável por 73% do total contratado, o aumento no período foi de 50% e atingiu R$ 115,1 milhões; seguido do Rio Grande do Sul, com alta de 4% (R$ 9,6 milhões); Rio de Janeiro, com 38% (R$ 9 milhões) e Paraná, com 248% (R$ 6,5 milhões). Apesar dos números animadores, Daniel Prieto, da Assist Card Brasil, declara que os brasileiros ainda não têm total consciência sobre a importância do produto. Por aqui, somente uma em cada três pessoas contrata a proteção. “Temos oportunidade para difundi-lo tanto no segmento de intercâmbio quanto para viagens tradicionais e corporativas”. Quem permaneceu no exterior por um longo período ressalta a importância de viajar assegurado, mesmo que a assistência não seja acionada. A gerente comercial Suellen Mota ficou 35 dias em Vancouver (Canadá) junto com a irmã, para aprimorar o inglês. Após a proposta da agência de viagem, ela pesquisou sobre as coberturas e os valores do produto de maneira independente. “Contratar um seguro viagem não parece ser tão importante, mas realmente é, e foi pesquisando que entendi o seu custo/ benefício. Se acontecesse qualquer coisa durante nossa estadia, teríamos que arcar com todas as despesas”, comenta. Na companhia do marido, a administradora Fabiana Soares viajou para a Ásia, onde visitou Tailândia, Vietnã e Camboja, e adquiriu o produto por risco de intoxicação alimentar. “Nesses locais, a alimentação é muito diferente da nossa. Li relatos sobre a precariedade da higiene e de muitos turistas que passavam mal com a comida por isso”, afirma ela, que contratou ainda o seguro viagem para um intercâmbio na Africa do Sul e um tour pela Europa. ❙❙Jaime Prazeres, da Porto Seguro 24 ❙❙Suellen Mota, gerente comercial ❙❙Fabiana Soares, administradora