O Lavrador das Lavras Vazias

VitorCorleoneBH

Livro de poesias escrito em 2006 na cidade mineira de Lavras, retratando as dificuldades intrínsecas a uma nova realidade do serviço público na polícia. A solidão espiritual e a certeza de que muitas vezes na vida o ouro que se procura vem manchado de sangue e sofrimento. Às vezes uma oportunidade não é mais que uma desilusão.

Comentário

“Superação.Sentimento louvável que se esconde no interior das pessoas

mais frágeis. Desperta com fúria e promove ao homem a realização de façanhas

jamais pensadas. O inatingível se torna o topo onde é cravada a bandeira da

conquista.

É nos momentos mais difíceis da vida que ela se faz presente. Marca dos

vencedores que trazem no rosto as provas de tão dura batalha que é a

sobrevivência.

Vivemos à procura de novas e mais emocionantes conquistas a cada dia, e

muitas vezes deixamos simplesmente de cuidarmos de nós mesmos. O desejo

pelo novo nos move com tamanha ferocidade que nossos instintos mais íntimos e

mais delicados acabam sendo deixados de lado em detrimento das conquistas e

dos objetos do desejo.

Na vida nada é tão ruim que não possa ficar pior conforme os

acontecimentos se desenvolvem, e o limite entre o desespero diante dos fatos e a

coragem para reverter qualquer quadro é o que torna cada conquista mais

preciosa. A dor se torna saborosa quando o que foi passado é reflexo de

momentos em que a vitória é vivenciada.

Isso é bom, pois quanto mais nós garimparmos o garimpo da vida mais

riquezas serão encontradas nas Lavras.

Superação. Força propulsora que permite a resistência. É isso que o

lavrador procura em Lavras onde não existem riquezas. Procura formas para

resistir à todas as dores e tormentos que seu pobre corpo calejado e faminto

possui. O auxílio para sobreviver em um ambiente onde tudo é novo: mágoas que

jamais foram sentidas, mundos que jamais foram visitados, sentimentos e

aspirações impossíveis, o exílio.

Nas Lavras não havia ouro, o lavrador insistia em procurar riquezas para sua

alma.”

Santa Rita de Caldas, 13 de Março de 2009

Vitor Corleone Moreira da Silva

4

More magazines by this user