Views
5 months ago

Almanaque2

Almanaque número 2, com o conteúdo completo das edições nº 7 a nº 12 da Revista Mensal Peripécias Contendo as Seções Destaques, Túnel do Tempo, Sociais, Turismo, Literatura, Sala de Leitura, Teatro, Arte, Personalidades, Poesias, Atualidades, do Fundo do Baú, Fotografia, Formaturas, Humor, Culinária, Esportes, Curiosidades, Aniversariantes, Classificados, Biblioteca, História de Família e Espaço do Leitor.

Joaquim Alves Martins

Joaquim Alves Martins Correa. Colaboração: Jose Francisco Simões Correa Pessoa muito simpática. Calmo, e de papo agradável. Um esportista nato. Nunca o vi jogar futebol, mas sempre ouvi dizer que foi bom de bola. Uns diziam que nem tanto. Pelo sim pelo não, a verdade é que foi um empreendedor no que gostava de fazer, e admirava: O FUTEBOL. Criou o Preto e Branco, que depois, acabou se tornando o São Cristóvão Futebol Clube, na Rua Figueira de Melo. Tinha no sangue o Futebol, tanto que seus filhos foram bons de bola. O Alberto principalmente era o melhor, depois o Carlos (cujo apelido era China) o Oswaldo José (chamado de Oswaldinho) e o Fernando. Não que o Fernando fosse perna de pau, jogava bem, mas os outros eram melhores que ele. Assisti muitos jogos deles, (nas peladas) da Praça Niterói, no lado que dava para a rua D. Zulmira.

O Alberto era calmo, e certeiro, não discutia quando havia certo “sururu”. Tinha confiança nele, depois de início do jogo, dava uns bonitos dribles e fazia o gol. O Carlos era meio contestador, mas baixava a cabeça e corria driblando, o Fernando mais contestador que o Carlos, quem apaziguava o time era o Alberto. Driblava e debochava, jogava o tempo todo rindo e debochando. Quando adulto, foi muitas vezes jogar com o Alberto na Figueira de Melo. No lazer, faziam tudo o que mais o tio Joaquim gostava. Futebol. Na construção do Estádio do Maracanã, o tio Joaquim comprou duas cadeiras cativas. O Oswaldinho, não jogava nessa época, não lembro se assistia, era bem mais novo que eu. Mais tarde jogou muita “pelada” na Santa Luiza no nosso time, ou as vezes contra nosso time Aldino, Hilton, Eu, Jurandyr, Riquinho, Osíris, Álvaro e outros mais. Eu era perna de pau. O Oswaldinho era uma espécie de Zico, embora seja vascaíno. Uma vez, me chamou para ir com ele a um jogo no Maracanã. Outra criatividade do Tio Joaquim, foi o Clube de Roupas. Ele era Alfaiate. Não sei com quem aprendeu a costurar, mas era bom no talhe. Fazia também farda para estudantes e ainda para Militares das Forças Armadas.

Almanaque nº 1