Views
7 months ago

Almanaque2

Almanaque número 2, com o conteúdo completo das edições nº 7 a nº 12 da Revista Mensal Peripécias Contendo as Seções Destaques, Túnel do Tempo, Sociais, Turismo, Literatura, Sala de Leitura, Teatro, Arte, Personalidades, Poesias, Atualidades, do Fundo do Baú, Fotografia, Formaturas, Humor, Culinária, Esportes, Curiosidades, Aniversariantes, Classificados, Biblioteca, História de Família e Espaço do Leitor.

É difícil escrever

É difícil escrever sobre o Ney, este relato acabou sendo uma breve biografia. Não que ele fosse difícil, ao contrário, era muito transparente, correto, sempre pronto a ajudar os outros, muito querido por todos os que tiveram o privilégio de conviver com ele. Não era muito de expressar o que sentia, mas quem o conhecia sabia o quanto ele se preocupava com todos. Quando meu irmão Júlio César e meu pai adoeceram em 1996 o Ney também estava doente, mas não se cuidou porque priorizava cuidar do meu pai e do Júlio e a doença dele que poderia ser tratada naquela ocasião acabou se agravando. Ele fazia questão de participar do rodízio que fazíamos no hospital enquanto meu pai esteve hospitalizado. Em meu nome e em nome dos meus irmãos preparei esta singela homenagem para aquele que foi uma referência para todos nós e esperamos que ele tenha encontrado a merecida paz, onde estiver.

José Valentino da Silva – O Goleiro Pompéia Colaboração: Luiz Fernando Lapagesse Alves Corrêa Nascido José Valentim da Silva, em Itajubá-MG no dia 27 de setembro de 1934, Pompéia, segundo contam alguns, não dava muita atenção às aulas na escola que frequentava em Itajubá. Passava quase todo o tempo das aulas, rabiscando, desenhando. Seus desenhos preferidos eram Olívia Palito e Popeye, o marinheiro, personagens que, por anos a fio fizeram a alegria de muitas crianças. De tanto desenhar o marinheiro, Zé Valentim ganhou o apelido de Pompéia, porque seus amigos de escola não sabiam pronunciar o nome do marinheiro comedor de espinafre. Ainda adolescente, começou a fazer gols atuando de centroavante no Itajubá, clube da segunda divisão do futebol mineiro extensão de lazer para funcionários da Fábrica de Itajubá. O Pompéia, irmão-de-leite do meu irmão Carlinhos, não foi contratado pelo Flamengo, apesar de ter sido ao José Alves de Moraes, recomendado por meu pai. O Moraes não conhecia o Pompeia e foi ver um jogo do Bonsucesso para ver o Pompeia jogar. Acontece que o Pompeia se contundiu e foi substituído pelo reserva Ari, que acabou sendo contratado pelo Flamengo. Recordo-me que o Moraes ligou para nossa casa de Itajubá (Vila E, casa 15, telefone 36) e avisou ao pai que o ”indicado” tinha sido contratado pelo Mengo. Ainda comentou que ele era um

Almanaque nº 1
Peripécias 12