Views
5 years ago

Pesquisas FAU 2007/2008 - fauusp

Pesquisas FAU 2007/2008 - fauusp

instâncias de governo e

instâncias de governo e superar a atomização das ações, projetos e programas habitacionais. Neste sentido, será essencial estabelecer novos arranjos institucionais, articular as fontes de recursos públicos, criar as condições para ampliar a atuação do setor privado e mobilizar os movimentos sociais para contribuir, dentro dos objetivos da Política Nacional de Habitação, para superar um dos mais dramáticos problemas nacionais. Nesta perspectiva, um dos elementos estruturadores da elaboração do PlanHab é a montagem de um processo de interlocução com a sociedade e com os entes federativos, por meio de diferentes instâncias institucionais vinculadas ao Sistema Nacional de Habitação, contemplando os vários segmentos sociais e a diversidade regional do país. Em busca de uma proposta pactuada por todos, foram realizados seminários em todas as regiões do país, reuniões técnicas, oficinas de discussão e apresentações aos conselhos de participação e controle social relacionados com o tema – Conselho das Cidades, Conselho Curador do Fundo de Garantia do Tempo do Serviço (FGTS) e Conselho Gestor do Fundo Nacional de Habitação de Interesse Social. Ainda como parte da elaboração com participação da sociedade, grupo formado por representantes dos segmentos sociais dos Conselhos foi instituído com a função de acompanhar e discutir cada etapa de elaboração do Plano. A complexidade das questões envolvidas na elaboração do planejamento habitacional contempla estudos sobre: - déficit habitacional e demanda futura de novas moradias de modo a quantificar as necessidades habitacionais nos próximos 16 anos; - classificação do conjunto de municípios brasileiros a partir de um leque de indicadores econômicos e sociais que permitam associar a dimensão populacional à inserção regional do município, a capacidade de gerar riqueza no município, e as condições socioeconômicas da população; - contextualização regional das necessidades habitacionais acumuladas e futuras; - perfil da renda da população e sua distribuição por tipologia de município; construção de cenários que permitam traçar a evolução da renda no país. Esse estudo é essencial para estimar o montante de famílias que podem acessar um financiamento habitacional e aquelas que necessitarão de recursos de subsídios; - fontes de recursos para investimento e financiamento habitacional; - projeção e cenários da evolução da carga tributária nacional e dos investimentos em habitação com recursos da União; - projeção e cenários da evolução da receita, da disponibilidade, do investimento: i) dos recursos para subsidio do FGTS; ii) da aplicação em poupança e do investimento em habitação do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo; - perfil de gastos da população incluindo o percentual destinado à moradia; - definição da tipologia de produtos habitacionais para enfrentar as necessidades de novas moradias e de adequação de assentamentos precários; - custos de produção habitacional identificando diferenças por estado; - quantificação da produção habitacional por tipo de promotor: público, autopromotor, incorporador imobiliário; - identificação dos principais produtos habitacionais (casa, apartamento, cesta de materiais de construção, etc.) a serem priorizados no conjunto de municípios; - custo de urbanização de assentamentos precários segundo a complexidade de intervenção; - modelo de financiamento e subsídios, criando um sistema de atendimento que considere as diversidades de poder aquisitivo e de custos dos produtos habitacionais no país e unifique modelagem dos subsídios existentes hoje no país; - avaliação da questão da terra destinada à habitação e dos instrumentos para baratear o acesso e incentivar localizações urbanas adequadas; - regularização fundiária nas cidades brasileiras e instrumentos para ampliação da ação governamental; - modelagem de novos programas habitacionais. Equipe Pesquisadores Ermínia Maricato Maria Lúcia Refinetti Martins Raquel Rolnik PROJETOS PESQUISA/EXTENSÃO Helena Menna Barreto Rossela Rosseto Giselle Tanaka 243

Título do projeto Coordenador(a) Agências de fomento Vigência Resumo Critérios para a revisão do Plano Diretor Estratégico do Município de São Paulo Regina Maria Prosperi Meyer Marta Dora Grostein Secretaria de Planejamento do Município de São Paulo 2006-2008 Os estudos realizados para a Secretaria de Planejamento do Município de São Paulo, objetos do contrato n. 06/2006 (processo n. 2006-0.116.855-7), foram desenvolvidos em duas partes distintas: a primeira focada nas questões relacionadas com a natureza do processo de revisão do Plano Diretor Estratégico do Município de São Paulo (PDE-2002), e a segunda relacionada ao desenvolvimento dos denominados bairros centrais do município, definindo prioridades e focos de atuação para a atual gestão municipal. Os estudos resultaram nos seguintes produtos: 1) “Elementos conceituais e prepositivos de apoio à Revisão do Plano Diretor Estratégico do Município de São Paulo - Critérios para a Revisão do PDE do Município de São Paulo 2002/2012”. A primeira parte do trabalho objeto do contrato FUPAM/SEMPLA resultou na elaboração dos fundamentos para a realização da Revisão do Plano Diretor Estratégico do Município de São Paulo 2002-2012. O trabalho forneceu à equipe de coordenação da revisão do PDE alocada em SEMPLA, subsídios conceituais para embasar o processo de revisão, assim como os elementos para favorecer a ampliação de uma visão metropolitana no planejamento municipal. 2) “Estudo Urbano e Urbanístico do Vetor Leste do Centro”. Estudo Urbano e Urbanístico do Vetor Leste do Centro O objetivo do Estudo é subsidiar o Programa Ação Centro – BID com informações, análises e diretrizes de projeto para o Vetor Leste do Centro. Nesse documento, parte-se do pressuposto de que o Vetor Leste do Centro deverá integrar um plano global para o conjunto dos vetores propostos, tendo em vista suas especificidades. Os vetores são, aqui entendidos, como unidades territoriais, funcionais, sociais, culturais e ambientais, cujas especificidades são evidentes. Enquanto a análise da Área Central aponta para questões específicas e presentes nos três vetores, a análise funcional e estrutural da Cidade e da Metrópole aponta para o caráter sistêmico das questões urbanas e urbanísticas que têm origem no Centro. Foi constatado, neste Estudo, que essas questões nascem em áreas intermediárias e periféricas da Cidade, e causam grande impacto ao alcançarem e cruzarem o Centro e alguns trechos dos Bairros Centrais. A escala de abrangência e os temas aqui propostos correspondem a procura de novas formas de tratar as questões identificadas como questões da Área Central e, especificamente, do Vetor Leste do Centro, em sua dupla origem. A convicção da necessidade de propor intervenções físicas, um dos mais fortes pilares do urbanismo atual, não tem correspondido às expectativas e, sobretudo, aos resultados alcançados. Tal constatação nos levou a buscar novas frentes de propostas e de políticas públicas que possam oferecer maior efetividade às obras implementadas na Área Central, isto é, no Centro e em trechos dos Bairros Centrais, conforme detalhado nesse Estudo. Trabalhos comparativos recentes, envolvendo inúmeras cidades e metrópoles em todo o mundo, têm enfatizado a necessidade de analisar, projetar e estabelecer políticas públicas para as áreas centrais, tendo em vista o seu papel nas dinâmicas urbanas de caráter abrangente. Isto é, consideram as áreas centrais a partir das transformações que estão ocorrendo no setor produtivo da economia, que afetam a distribuição das atividades no conjunto do território urbano, no qual o centro está inserido e do qual participa. Desta forma, apesar de possuírem uma evolução urbana específica, as áreas centrais são, via-de-regra, trechos urbanos que competem com os demais territórios da Cidade no que diz respeito à dinâmica de investimentos imobiliários do setor privado. E, como se sabe, contam com aportes do setor público, sempre inferiores às necessidades de renovação da infra-estrutura existente. Assim, termos como revitalização, renovação urbana e reciclagem 244 A FAU PESQUISA NOS SEUS 60 ANOS

  • Page 1:

    A FAU PESQUISA NOS SEUS 60 ANOS

  • Page 4:

    5 7 17 61 91 125 149 159 177 197 21

  • Page 8 and 9:

    (1) Criada em 1934 a Universidade d

  • Page 10 and 11:

    (8) Em maio de 1969, tiveram seus d

  • Page 12 and 13:

    (14) PEREIRA, M. e SAWAYA, S. (Orgs

  • Page 14 and 15:

    (21) No ano de 2008, a FUPAM oferec

  • Page 16:

    (22) Paulo Mendes da Rocha, profess

  • Page 20 and 21:

    NÙCLEOS, LABORATÓRIOS E GRUPOS DE

  • Page 22 and 23:

    Núcleo Ano de formação Líder(es

  • Page 24 and 25:

    Laboratório Ano de formação Líd

  • Page 26 and 27:

    Linhas de pesquisa Equipe O LABAUT

  • Page 28 and 29:

    Laboratório Ano de formação Líd

  • Page 30 and 31:

    Equipe Laboratório Ano de formaç

  • Page 32 and 33:

    Laboratório Ano de formação Líd

  • Page 34 and 35:

    Linhas de pesquisa Equipe Laborató

  • Page 36 and 37:

    Laboratório Ano de formação Líd

  • Page 38 and 39:

    Laboratório Ano de formação Líd

  • Page 40 and 41:

    Equipe Equipe INPE Laboratório Ano

  • Page 42 and 43:

    Linhas de pesquisa Equipe Grupo de

  • Page 44 and 45:

    Grupo de pesquisa Ano de formação

  • Page 46 and 47:

    Linhas de pesquisa Equipe Grupo de

  • Page 48 and 49:

    Grupo de pesquisa Ano de formação

  • Page 50 and 51:

    Financiamento Linhas de pesquisa Eq

  • Page 52 and 53:

    Linhas de pesquisa Equipe Principai

  • Page 54 and 55:

    Grupo de pesquisa Ano de formação

  • Page 56 and 57:

    Grupo de pesquisa Ano de formação

  • Page 58 and 59:

    Grupo de pesquisa Ano de formação

  • Page 60:

    Linhas de pesquisa Grupo de pesquis

  • Page 64 and 65:

    INICIAÇÃO CIENTÍFICA, INICIAÇÃ

  • Page 66 and 67:

    INICIAÇÃO CIENTÍFICA, INICIAÇÃ

  • Page 68 and 69:

    INICIAÇÃO CIENTÍFICA, INICIAÇÃ

  • Page 70 and 71:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 72 and 73:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 74 and 75:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 76 and 77:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 78 and 79:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 80 and 81:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 82 and 83:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 84 and 85:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 86 and 87:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 88 and 89:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 90:

    INICIAÇÃO CIENTÍFICA, INICIAÇÃ

  • Page 94 and 95:

    DISSERTAÇÕES DE MESTRADO 93

  • Page 96 and 97:

    DISSERTAÇÕES DE MESTRADO 95

  • Page 98 and 99:

    DISSERTAÇÕES DE MESTRADO 97

  • Page 100 and 101:

    DISSERTAÇÕES DE MESTRADO 99

  • Page 102 and 103:

    DISSERTAÇÕES DE MESTRADO 101

  • Page 104 and 105:

    DISSERTAÇÕES DE MESTRADO 103

  • Page 106 and 107:

    DISSERTAÇÕES DE MESTRADO 105

  • Page 108 and 109:

    DISSERTAÇÕES DE MESTRADO 107

  • Page 110 and 111:

    DISSERTAÇÕES DE MESTRADO 109

  • Page 112 and 113:

    DISSERTAÇÕES DE MESTRADO 111

  • Page 114 and 115:

    DISSERTAÇÕES DE MESTRADO 113

  • Page 116 and 117:

    DISSERTAÇÕES DE MESTRADO 115

  • Page 118 and 119:

    DISSERTAÇÕES DE MESTRADO 117

  • Page 120 and 121:

    DISSERTAÇÕES DE MESTRADO 119

  • Page 122 and 123:

    DISSERTAÇÕES DE MESTRADO 121

  • Page 124:

    DISSERTAÇÕES DE MESTRADO 123

  • Page 128 and 129:

    TESES DE DOUTORADO 127

  • Page 130 and 131:

    TESES DE DOUTORADO 129

  • Page 132 and 133:

    TESES DE DOUTORADO 131

  • Page 134 and 135:

    TESES DE DOUTORADO 133

  • Page 136 and 137:

    TESES DE DOUTORADO 135

  • Page 138 and 139:

    TESES DE DOUTORADO 137

  • Page 140 and 141:

    TESES DE DOUTORADO 139

  • Page 142 and 143:

    TESES DE DOUTORADO 141

  • Page 144 and 145:

    TESES DE DOUTORADO 143

  • Page 146 and 147:

    TESES DE DOUTORADO 145

  • Page 148:

    TESES DE DOUTORADO 147

  • Page 152 and 153:

    PÓS-DOUTORADO 151

  • Page 154 and 155:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 156 and 157:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 158:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 162 and 163:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 164 and 165:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 166 and 167:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 168 and 169:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 170 and 171:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 172 and 173:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 174 and 175:

    Nome do pesquisador(a) Título da p

  • Page 176:

    As atividades ora propostas inserem

  • Page 180 and 181:

    Coordenador(a) Título da pesquisa

  • Page 182 and 183:

    Coordenador(a) Título da pesquisa

  • Page 184 and 185:

    Coordenador(a) Título da pesquisa

  • Page 186 and 187:

    Coordenador(a) Título da pesquisa

  • Page 188 and 189:

    Coordenador(a) Título da pesquisa

  • Page 190 and 191:

    Coordenador(a) Título da pesquisa

  • Page 192 and 193:

    Coordenador(a) Título da pesquisa

  • Page 194 and 195: Coordenador(a) Título da pesquisa
  • Page 196: Coordenador(a) Título da pesquisa
  • Page 200 and 201: AUXÍLIO À PESQUISA E OU PARCERIAS
  • Page 202 and 203: Produtos Convênio Coordenador(a) n
  • Page 204 and 205: Coordenador(a) nacional Vice-coorde
  • Page 206 and 207: Coordenador(a) nacional Título da
  • Page 208 and 209: Coordenador(a) nacional Coordenador
  • Page 210 and 211: Coordenador(a) nacional Título da
  • Page 212: AUXÍLIO À PESQUISA E OU PARCERIAS
  • Page 216 and 217: Instituição Coordenador FAU Situa
  • Page 218: Instituição Coordenador(a) FAU Si
  • Page 222 and 223: AUXÍLIOS À PARTICIPAÇÃO E ORGAN
  • Page 224 and 225: AUXÍLIOS À PARTICIPAÇÃO E ORGAN
  • Page 226 and 227: Nome do pesquisador(a) Título da p
  • Page 228 and 229: Palavras-chave visando à sua prese
  • Page 230 and 231: Nome do pesquisador(a) Título da p
  • Page 232 and 233: Evento Organizador(a) Local Data Ag
  • Page 234 and 235: Evento Organizador(a) Professor con
  • Page 236: Evento Organizador(a) Local Data Ag
  • Page 240 and 241: PROJETOS PESQUISA/EXTENSÃO 239
  • Page 242 and 243: Título do projeto Coordenador(a) A
  • Page 246 and 247: Título do projeto Coordenador(a) A
  • Page 248: Título do projeto Coordenador(a) A
  • Page 252: OUTRAS MODALIDADES DE APOIO À PESQ
  • Page 256 and 257: Nome do pesquisador(a) Título da p
  • Page 258 and 259: Nome do pesquisador(a) Título da p
  • Page 260 and 261: A publicação envolveu a atualiza
  • Page 262 and 263: Nome do pesquisador(a) Título da p
  • Page 264: Nome do pesquisador(a) Título da p
  • Page 268 and 269: Nome do periódico Editor-chefe Com
  • Page 270 and 271: Nome do periódico Editor-chefe Com
  • Page 272: PERIÓDICOS EDITADOS NA FAUUSP 271
  • Page 276 and 277: Serviço de apoio Professor Coorden
  • Page 278: Serviço de apoio Professor Coorden
Seleção de prioridades de pesquisa em Saúde, 2008.
Pesquisa Fapesp edição 149 julho 2008 - Revista Pesquisa FAPESP
Pesquisa "Retrato do Varejo" 2008 - Apas
66 DEZEMBRO DE 2007 PESQUISA FAPESP 142 - Revista ...
O Desejado de Todas as Nações (2007) - Centro de Pesquisas ...
MEIO - Centro de Documentação e Pesquisa Vergueiro
destaques do relatório global de competitividade de 2007 – 2008 do ...
2008 - Abril - Relatório Anual de 2007 - AbrilPREV
Cadernos de Ética em Pesquisa - Conselho Nacional de Saúde
Pesquisa Fapesp edição 149 julho 2008 - Revista Pesquisa FAPESP
Beneficência Social (2007) - Centro de Pesquisas Ellen G. White
Patriarcas e Profetas (2007) - Centro de Pesquisas Ellen G. White
VIVA, MtiZA - Centro de Documentação e Pesquisa Vergueiro
UCBC Informa - Centro de Documentação e Pesquisa Vergueiro
Mensagens Escolhidas 2 (2008) - Centro de Pesquisas Ellen G. White
Pesquisa Nacional sobre a População em Situação de Rua
Download do Informativo - fauusp
Profetas e Reis (2007) - Centro de Pesquisas Ellen G. White
Relatório de Sustentabilidade 2007-2008 [PDF] - Abreu Advogados
Fé e Obras (2008) - Centro de Pesquisas Ellen G. White
anaue! - Centro de Documentação e Pesquisa Vergueiro
Sistema Brasileiro de Avaliação Ética em Pesquisas - Anis
1 - Centro de Documentação e Pesquisa Vergueiro
O IMPÉRIO DO - Centro de Documentação e Pesquisa Vergueiro