Views
6 days ago

a historia de israel no antigo testamento

euniu seu povo

euniu seu povo no vale de Beraca, para uma reunião de ação de graças, reconhecendo que só Deus lhes havia dado a vitória 226 . Numa marcha triunfal, o rei os conduziu a todos de volta a Jerusalém. O temor de Deus caiu sobre as nações dos arredores quando souberam desta miraculosa vitória. Josafá de novo tornou gozar de paz e quietude. Com um novo rei, Acazias, sobre o trono onrida de Israel, Josafá entrou uma vez mais em íntima afinidade com esta malvada família. Num esforço conjunto, tentaram fretar barcos em Eziom-Geber, para propósitos comerciais. De acordo com a predição do profeta Eliézer, os barcos naufragaram (2 Cr 20.35-37). Quando Acazias lhe propôs outra nova aventura, Josafá declinou a proposição (1 Rs 22.47-49). Antes do fim de seu reinado, Josafá de novo entrou em aliança com um rei de Israel. Desta vez foi Jorão, outro dos filhos de Acabe. Quando Acabe morreu, Moabe cessou de pagar tributos a Israel. Aparentemente, Acazias, em seu curto reinado, nada disse a este respeito. Quando Jorão se converteu em rei, convidou Josafá a unir suas forças com ele numa marcha através do Edom, para submeter a Moabe (2 Rs 3.1-27) 227 . Josafá de novo teve consciência do fato de que estava aliado com reis ímpios, quando o profeta Eliseu salvou os três exércitos da destruição. Josafá morreu no ano 848 a.C. em agudo contraste com a dinastia onrida, conduziu a seu povo na luta contra a idolatria em todos seus aspectos. Por sua íntima associação com ao reis malvados e ímpios de Israel, todavia, foi severamente admoestado por vários profetas. Esta política de aliança matrimonial não afetou seriamente sua nação, enquanto ele viveu, porém foi causa de que fosse quase eliminada a dinastia davídica de Judá, menos de uma década após sua morte. Esta complacência de sua política sincrética anulou, com muito, os esforços de toda uma vida, no bom e piedoso rei Josafá. Jorão volta à idolatria Jorão, o filho de Josafá, governou sobre Judá durante oito anos (848-841 a.C.). embora era coregente com seu pai, não assumiu muita responsabilidade até depois de morrer Josafá. No relato escriturístico (2 Cr 21.1-20; 2 Rs 8.16-24) se dão certas datas sobre a base de seu acesso ao trono no 853, enquanto que outros se referem ao 848 a.C., quando assumiu o completo domínio do reino 228 . A morte de Josafá precipitou rápidas mudanças em Judá. O pacífico governo que tinha prevalecido sob Josafá foi logo substituído pelo derramamento de sangue e uma grande idolatria. Tão logo como Jorão esteve seguro em seu trono, assassinou a seis de seus irmãos, aos que Josafá tinha designado no mando de cidades fortificadas. Muitos dos príncipes levaram a mesma sorte. O fato de que adotasse os mesmos caminhos pecaminosos de Acabe e Jezabel parece razoável atribuí-lo à influência de sua esposa, Atalia. Restaurou os lugares altos e a idolatria, que seu pai tinha suprimido e destroçado. Também se produziram mudanças em outras questões e aspectos. De acordo com Thiele, Jorão, nesse tempo, inclusive adotou para Judá o sistema do ano de não-acessão e sua numeração, utilizado no Reino do Norte 229 . Elias, o profeta, repreendeu severamente a Jorão por escrito (2 Cr 21.11-15). Mediante aquela comunicação escrita, Jorão foi advertido de estar pendente de juízo por seu crime de matar seus irmãos e conduzir a Judá pelos perversos caminhos do Reino do Norte. O tenebroso futuro supunha uma praga para juiz e uma doença incurável para o próprio rei. Edom se revoltou contra Jorão. Embora ele e seu exército estavam rodeados pelos edomitas, Jorão fugiu e Edom ganhou assim sua independência. Os filisteus e os árabes que tinham reconhecido a Josafá pagando-lhe tributos, não somente se rebelaram, senão que avançaram à Jerusalém, chegando a atacar e a destrocar o próprio palácio do rei. Levaram com eles um enorme 226 Desde a partição da Palestina, o doutor Lambie tem erigido o Hospital Beraca, neste mesmo vale. 227 Para maiores detalhes e discussão, ver capítulo 10. 228 Note-se que a discussão de Thiele acerca disto clarifica aparentes contradições, tais como 2 Reis 1.17 e 8.16; ver "Mysterious Numbers of the Hebrew Kings", pp. 61-65. Jorão foi feito, talvez, co-regente antes de que Josafá vencesse com Acabe na batalha contra a Síria, no 853 a.C. 229 Thiele, op. cit., p. 62. Este sistema era usado no Israel, enquanto que, por sua parte, Judá utilizava o sistema do ano de acessão. 136

tesouro e tomaram cativos os membros da família de Jorão, com a exceção de Atalia e um filho, Joacaz ou Acazias. Dois anos antes de sua morte, Jorão foi tocado com uma terrível e incurável doença. Após um período de terríveis sofrimentos, morreu no 841 a.C. Os trágicos e surpreendentes efeitos deste curto reinado se refletem no fato de que ninguém lamentou sua morte. Nem sequer se lembraram de dar-lhe a honra usual de ser enterrado no túmulo destinado aos reis. Acazias promove o baalismo Acazias teve o mais curto dos reinados durante este período, sendo rei de Judá menos de um ano (841 a.C.) 230. Enquanto que Jorão tinha assassinado a todos seus irmãos quando chegou ao trono, os filhos de Jorão foram todos mortos pelos árabes, com a exceção de Acazias. Conseqüentemente, o povo de Judá não teve mais alternativa que coroar rei a Acazias. Sob o conselho pessoal de sua mãe, a maldade de Acabe e Jezabel encontrou completa expressão quando Acazias se converteu em rei de Judá. Sob a dominação daquela mulher e a influência de seu tio, Jorão, que governava a Samaria, Acazias teve pouco que escolher. A pauta já tinha sido estabelecida por seu pai. Seguindo o conselho de seu tio, o novo rei se uniu aos israelitas na batalha contra a Síria. Devido a que Hazael acabava de substituir a Ben-Hadade como rei de Damasco, Jorão decidiu que aquela era a oportunidade de recuperar Ramote-Gileade dos sírios. No conflito que se seguiu, Jorão foi ferido. Acazias estava com Jorão em Jizreel, o palácio de verão da dinastia onrida, quando a revolução estourou em Israel. Enquanto Jeú marchava contra Jizreel, Jorão foi mortalmente ferido, e Acazias buscou refúgio em Samaria. Numa perseguição posterior, foi fatalmente ferido e morreu em Megido. Como sinal de respeito por Josafá, seu neto, Acazias, foi enterrado com as honras de rei em Jerusalém. Sem um herdeiro qualificado para encarregar-se do reino de Judá, Atalia ocupou o trono em Jerusalém. Para assegurar sua posição, começou com a execução da família real (2 Cr 22.10-12). O que Jezabel, sua mãe, tinha feito com os profetas em Israel, Atalia o fez com a família de Davi em Judá. Através de uma aliança matrimonial arranjada por Josafá com o malvado Acabe, esta neta de Etbaal, rei de Tiro, se convertera na esposa do herdeiro do trono de Davi. Indubitavelmente, ela não se manteve todo o tempo que viveu Josafá. O que ela fez em Judá, após sua morte, fica tragicamente revelado nos acontecimentos que se desenvolveram nos dias de seu marido, Jorão, e de seu filho, Acazias. A isto se seguiu um período de terror que durou seis anos. 230 Note-se que ele é chamado de Acazias em 2 Cr 22.1,6, enquanto que em 2 Cr 21.7 é chamado de Joacaz. 137

Patriarcas E Profetas por Ellen G. White [Novo Edicao]