Views
11 months ago

a historia de israel no antigo testamento

• CAPÍTULO 18: ISAIAS

• CAPÍTULO 18: ISAIAS E SUA MENSAGEM Para compreender a mensagem deste livro, é necessário estar familiarizado com a situação histórica do profeta e do povo ao que se entregou esta mensagem. Muitas das alusões, referências e advertências podem ser interpretadas incorretamente a menos que os acontecimentos políticos em Judá sejam cuidadosamente considerados, em relação com as nações circundantes. ESQUEMA 6: TEMPOS DE ISAIAS 787-81 Amasias provavelmente deixado em liberdade de sua prisão, quando Jeroboão II assume sozinho o governo de Israel após a morte de Joás. 768 Uzias assume sozinho o governo em Judá. Morte de Amasias. 760 Data aproximada do nascimento de Isaias. 753 Fim do reinado de Jeroboão em Israel. 750 Uzias doente da lepra. 745 Tiglate-Pileser III começa seu governo na Assíria. 743 Os assírios derrotam a Sarduris III, rei de Urartu. Uzias e seus aliados derrotados pelos assírios na batalha de Arpade. 740 Jotão assume sozinho o governo. Morte de Uzias. 736-35 Os exércitos assírios invadem os filisteus. Guerra sírio-efraimítica após a retirada dos assírios. 733 Invasão assíria da Síria. 732 Damasco conquistado pelos assírios, terminando assim o governo sírio. Peca substituído por Oséias em Samaria. 727 Salmaneser V começa a governador a Assíria. 722 Queda de Samaria. Acessão de Sargão II ao trono da Assíria. 716-15 Ezequias começa a reinar em Judá. Reforma religiosa. Purificação do Templo. 711 Tropas assírias em Asdode. 709-8 Nascimento de Manassés. 705 Senaqueribe começa a governador a Assíria. 702 Bel-Ibni substitui a Merodaque-Baladã no trono da Babilônia. 702-1 A doença de Ezequias. Ameaça de Senaqueribe. Isaías afirma a seguridade. A embaixada babilônica de Merodaque-Baladã no exílio visita Jerusalém. 697-6 Manassés feito co-regente. 688 A segunda ameaça de Senaqueribe a Ezequias. 687-6 Ezequias morre. Manassés governa sozinho. 680. Isaias pôde ter sido martirizado por Manassés. Com o profeta em Jerusalém Muito pouco se conhece a respeito da linhagem de Isaias, seu nascimento, juventude ou educação, além do fato de que foi filho de Amós. Aparentemente nasceu e se educou em Jerusalém. Já que seu chamamento ao ministério profético está definitivamente datado no ano que morreu Uzias (740 a.C.), é razoável datar seu nascimento entre o 765 e o 760 a.C. Isaias nasceu em dias de prosperidade. Judá estava voltando a ganhar sua força militar e econômica sob a competente liderança de Uzias. Previamente, a absurda política realizada o Amasias tinha conduzido à invasão de Judá e à opressão por Israel. Este último acontecimento 212

de ter promovido o reconhecimento de Uzias como co-regente lá pelo ano 792-91 a.C. Com a mudança de reis em Israel, Amasias foi restaurado no trono (782-81), só para ser assassinado (768). Isto deu a Uzias o controle único de Judá e a oportunidade de afirmar sua efetiva liderança. Ominosos acontecimentos logo semearam ameaçadoras sombras através das futuras esperanças de Judá. Na Samaria, à morte de Jeroboão no 753 seguiu-se a revolução e a efusão de sangue até que Menaém se apoderou do trono. Em Judá, Uzias foi tocado pela lepra como um juízo divino por assumir responsabilidades sacerdotais. Embora Jotão foi feito co-regente naquele tempo (por volta do 750 a.C.), Uzias continuou no governo ativo. a prosperidade econômica prevaleceu em Judá conforme se espalhava para o sul com suas fronteiras, incluindo o Elate, no Golfo de Acaba. Para o leste, os amonitas eram tributários de Judá. Mais portentoso foi o acesso ao trono de Tiglate-Pileser III, ou Pul, na Assíria, no 745 a.C. A subseqüente conquista da Babilônia pelos assírios precipitou uma preparação unificada dos governantes palestinos para a agressão assíria. No 743-738, esta expectação se converteu em realidade, quando o exército assírio avançou para o oeste em diversas campanhas. O rei assírio informa em seus anais que derrotou a força palestina sob o mandado de Azarias ou Uzias de Judá. Thiele data este evento no primeiro ano deste período 441 . Menaém, o rei de Israel, também deveu entregar um forte tributo ao rei da Assíria (2 Rs 15.19). Sob a ameaça pendente da agressão assíria, aconteceram rápidas mudanças em Israel e as mesmas tiveram suas repercussões em Judá. Quando morreu Menaém, foi sucedido por seu filho Pecaías, que foi assassinado por Peca após dois anos de governo. O último tomou o trono de Samaria no 740-39 e começou uma agressiva política antiassíria. A morte de Uzias, o notável rei de Judá e o mais sobressalente desde os dias de Davi e Salomão, aconteceu no mesmo ano. Durante este ano de tensão no país e no exterior, o jovem Isaias recebeu seu chamamento profético. É verossímil que tivesse observado os desenvolvimentos internacionais com profundo interesse quando as esperanças de Judá pela sobrevivência nacional se desvaneceram ante os avanços do exército da Assíria. Não está indicada qual tenha sido a atitude religiosa de Isaias naquele tempo. pôde ter estado familiarizado com Amós e Oséias, que se mostravam ativos no Reino do Norte. Como homem jovem, pôde ter estado em contato com Zacarias, o profeta que teve tão favorável influência sobre Uzias. Neste ano crucial, o jovem foi chamado a ser o porta-voz da palavra de Deus, para entregar a mensagem de Deus a uma geração encarada com acontecimentos históricos sem precedentes. Enquanto Peca resistia firmemente aos assírios, um grupo pró-assírio foi ganhando poder em Judá. Aparentemente, este movimento foi o responsável da elevação de Acaz ao trono em 736-35 a.C., quando os exércitos assírios estavam ativos em Nal e Urartu. Acaz pôde ter precipitado a invasão assíria dos filisteus no 734 a.C. Pelo menos, após sua retirada, Peca de Samaria e Rezim de damasco lançaram um ultimato a Acaz para que se unisse a eles em oposição à Assíria. Neste momento, Isaias ficou implicado na marcha dos acontecimentos. Foi especificamente comissionado para avisar o rei de confiar em Deus (Is 7.1ss). ignorando o aviso do profeta, Acaz fez um tratado com Tiglate-Pileser III. Embora Judá foi invadida pelos exércitos sírio-efraimitas e perdeu o Edom como tributário, Acaz sobreviveu ao avanço do exército assírio. As sucessivas campanhas assírias deram por resultado a conquista e capitulação da Síria no 732 a.C. Simultaneamente, Peca foi executado e substituído por Oséias, que assegurou o tributo de Israel ao rei da Assíria. Acaz se encontrou com Tiglate-Pileser em Damasco e selou seu pacto introduzindo o culto de adoração assírio no templo de Jerusalém. A atividade de Isaias durante o resto do reinado de Acaz é obscura. Deve ter partilhado o profundo interesse e ansiedade dos cidadãos de Judá, a respeito das lutas da Samaria, a uns 70 km ao norte de Jerusalém. Quando Salmaneser sucedeu a Tiglate-Pileser sobre o trono da Assíria, Oséias terminou sua servidão. Seguindo um assedio de três anos pelos assírios, Oséias foi morto, e a Samaria conquistada pelo invasor no 722. 441 Para a defesa desta data, ver Thiele, The Mvsterious Numbers of the Kings, pp. 75-98. 213

Old Testament Times at a Glance, Booklet