Views
9 months ago

a historia de israel no antigo testamento

MAPA 7: O IMPÉRIO

MAPA 7: O IMPÉRIO ASSÍRIO (CERCA DE 700 A.C.) Com toda probabilidade foi durante este período da pressão assíria (701 a.C.) que Ezequias caiu gravemente doente. Embora Isaias advertiu o rei que se preparasse para a morte, Deus interveio. 152

Dupla foi a divina promessa dada ao rei de Judá —a prolongação de sua vida por mais quinze anos e a liberação de Jerusalém da ameaça assíria— (Is 38.4-6). Enquanto isso, Senaqueribe estava sitiando Laquis, talvez fosse o conhecimento de que Ezequiel pôs toda sua fé em Deus para sua libertação o que fez que o rei assírio enviasse seus oficiais ao caminho da herdade do lavandeiro 256 , perto da muralha de Jerusalém, para incitarem o povo à rendição. Senaqueribe até afirmou que ele era o comissionado de Deus para demandar a capitulação, e citou uma impressionante listas de conquistas de outras nações, cujos deuses não haviam podido liberá-las. Isaias, contudo, afirmou ao rei e ao povo a sua segurança. Enquanto estava sitiando Libna, Senaqueribe ouviu rumores de uma revolta babilônica. Os assírios partiram imediatamente. Inclusive tendo conquistado quarenta e seis cidades fortificadas pertencentes a Ezequias, não citou entre elas a Jerusalém. Se jactou de ter feito 200.000 prisioneiros de Judá, e informou que Ezequias estava encerrado em Jerusalém como um passaro em sua gaiola. A aclamação e o reconhecimento dos países circundantes foi expressado com abundantes obséquios e presentes ao rei de Judá (2 Cr 32.23). Merodaque-Baladã, o poderoso líder babilônico que estava ainda excitando rebeliões, estendeu sua felicitação a Ezequias por sua recuperação, talvez como reconhecimento da feliz recuperação do rei da ominosa opressão da ocupação assíria (2 Cr 32.31), assim como, ao mesmo tempo, por ter melhorado em seu estado de saúde 257 . A embaixada babilônica muito provavelmente ficou impressionada pela demonstração de riqueza existente em Jerusalém. O triunfo de Ezequias, não obstante, foi moderado pelo subseqüente aviso de Isaias de que as sucessivas gerações estariam sujeitas ao cativeiro babilônico. Apesar de tudo, esta triunfal liberação pôde ter dado à forma religiosa um novo ímpeto, enquanto que a paz e a propriedade prevaleciam durante o longo reinado de Ezequias. Sabendo que somente restavam-lhe quinze anos até o final de seu reinado, teria parecido natural que tivesse associado seu filho Manassés com ele no trono na primeira oportunidade. Em 696-695, Manassés se converteu no "filho da lei", a idade de doze anos, ao mesmo tempo em que começava sua co-regência 258 . Na zona do tigre e do Eufrates, o rei assírio suprimiu as rebeliões e em 689 a.C. destruiu a cidade de Babilônia. Prosseguindo com êxito na Arábia, Senaqueribe ouviu do avanço de Tiraca. Devido a que o Egito tinha sido o objetivo real da campanha assíria do 701, pôde muito bem ter acontecido que Senaqueribe esperasse evitar a interferência de Judá, enviando cartas a Ezequias com um ultimato para submeter-se. Enquanto que os oficiais assírios tinham estado ameaçando o povo, aquela comunicação estava dirigida a Ezequias pessoalmente. Esta vez o rei se dirigiu ao templo para orar. Através de Isaias recebeu a certeza de que o rei assírio voltaria pelo caminho que tinha vindo. Precisamente onde o exército estava acampado quando aconteceu a perda de 180.000 combatentes, não consta no relato bíblico, mas o que sim é verdade é que nunca chegou a Jerusalém. O reinado de Ezequias continuou em paz. Diferentemente de um bom número de seus antecessores, Ezequias foi sepultado com as honras reais, com sincera devoção pela tarefa que havia realizado em levar seu povo à grande reforma na história de Judá. E já que o Reino do Norte tinha deixado de ter um governo independente, esta reforma religiosa se estendeu a esse território. Exceto pela ameaça assíria, Ezequias gozou de seu reinado pacífico. Manassés – Idolatria e reforma A Manassés se credita o mais longo reinado da história de Judá (2 Rs 21.1-17; 2 Cr 33.1-20); incluindo a década da co-regência com Ezequias, foi rei por um dilatado período de cinqüenta e cinco anos (696-642 a.C.). mas o governo foi a antítese do de seu pai. Desde o pináculo do fervor 256 2 Rs 18.17: "Contudo enviou o rei da Assíria a Tartã, e a Rabe-Saris, e a Rabsaqué, de Laquis, com grande exército ao rei Ezequias, a Jerusalém; subiram, e vieram a Jerusalém. E, subindo e vindo eles, pararam ao pé do aqueduto da piscina superior, que está junto ao caminho do campo do lavandeiro". (N. da T.). 257 Ver Thiele, op. cit., p. 156. 258 Op. cit., pp. 155-156. 153

Patriarcas E Profetas por Ellen G. White [Novo Edicao]