Views
4 days ago

a historia de israel no antigo testamento

MAPA 8: O REINO DE

MAPA 8: O REINO DE JOSIAS (CERCA DE 625 A.C.) 156

• CAPÍTULO 14: O DESVANECIMENTO DAS ESPERANÇAS DOS REIS DAVÍDICOS Durante um século Judá tinha sobrevivido à expansão triunfante do Império Assírio. Desde que Acaz tinha perdido o direito à liberdade de Judá por um tratado executado com Tiglate-Pileser III, este pequeno reino suportou crise após crise como vassalo de cinco governantes mais da Assíria. Tratados, manobras diplomáticas, resistência e a intervenção sobrenatural, tiveram uma vital influência na continuação da existência de um governo semi-autônomo quando os reis, tanto os maus como os justos, ocuparam o trono davídico. Então, quando a Assíria estava afrouxando sua garra sobre as esperanças nacionalistas de Judá, essas esperanças surgiram uma vez mais durante as três décadas do reinado de Josias. A brusca terminação de sua liderança marcou o começo do fim para o Reino do Sul. Antes que tivessem passado 25 anos, estas esperanças começaram a desvanecer-se sob o poder crescente do Império da Babilônia. Em 586 a.C., as ruínas de Jerusalém foram uma lembrança realista da predição de Isaias de que a dinastia davídica sucumbiria ante Babilônia. Josias – Época de otimismo À precoce idade de 8 anos, Josias foi repentinamente coroado rei, sucedendo a seu pai, Amom. Após um reinado de trinta e oito anos (640-609 a.C.) foi morto na batalha de Megido. As atividades de Josias (resumidas em 2 Rs 22.1-23.30 e 2 Cr 34.1-35.27), estão principalmente limitadas a sua reforma religiosa. A declinação da influência da Assíria nos últimos anos de Assurbanipal, quem morreu aproximadamente no 630 a.C., permitiu a Judá ter a oportunidade de estender sua influência sobre o território do norte. É verossímil que os líderes políticos antecipassem a possibilidade de incluir as tribos do norte e inclusive as fronteiras do reino salomônico no Reino do Sul. Com a queda de Nínive no 612 pelas forças aliadas da Média e a Babilônia, os projetos de Judá ficaram assim mais favoráveis. Durante este período, cheio de intranqüilidade política e de rebeliões no leste, Judá ganhou a completa liberdade da vassalagem assíria, o qual, naturalmente, causou o ressurgir do nacionalismo. Com a idolatria infiltrada no reino, os projetos religiosos para o rei-menino não foram outra coisa que esperançosos. Não se sabe com certeza se a reforma de Manassés tinha penetrado na massa do povo, especialmente se seu cativeiro e penitente retorno aconteceu durante a última década de seu reinado. Amom foi decididamente malvado. Seu reinado de dois anos proporcionou o tempo suficiente para que o povo revertesse à idolatria na política e na administração do reino. É mais provável que continuassem quando seu filho de oito anos foi subitamente elevado ao trono. Neste discorrer de franca apostasia, Judá não podia esperar outra coisa que o juízo divino, de acordo com as advertências feitas por Isaias e outros profetas. Conforme Josias crescia e se fazia homem, reagiu ante as pecadoras condições de seu tempo. À idade de dezesseis anos, se aferrou à idéia de Deus, levando-o em conta antes que se conformando com as práticas idolátricas. Em quatro anos, sua devoção a Deus cristalizou até o ponto em que começou uma reforma religiosa (628 a.C.). No ano décimo oitavo de seu reinado (622 a.C.), enquanto que o templo estava sendo reparado, foi recuperado o livro da lei. Impulsionado pela leitura deste "livro da lei do Senhor dado a Moisés" e advertido do juízo divino que pendia sobre ele, feito por Hulda, a profetisa, Josias e seu povo observaram a Páscoa de uma forma sem precedentes na história de Judá. Embora a Escritura guarda silêncio a respeito das atividades específicas durante o resto dos treze anos de seu reinado, Josias continuou sua piedosa regência com a certeza de que a paz prevaleceria durante o resto de sua vida (2 Cr 34.28). A reforma começou no 628 e alcançou um clímax com a observância da Páscoa no 622 a.C. Devido a que nem o Livro dos Reis nem o das Crônicas proporcionam uma detalhada ordem cronológica dos acontecimentos, muito bem pode ser que os sucessos sumarizados nesses livros 157